Roda de conversa abre 8ª Semana do Bebê em Ubatuba – Prefeitura Municipal de Ubatuba

Olhares atentos em busca do conhecimento: assim estavam os 400 profissionais da Rede Municipal de Educação, e também das secretarias de Assistência Social, Saúde e do Comitê da Primeira Infância, que assistiram, presencialmente, a palestra de abertura na 8ª Semana do Bebê de Ubatuba, que aconteceu na noite de segunda-feira (13), no Teatro Municipal Pedro Paulo Teixeira Pinto. A atividade também foi transmitida via youtube e teve quase 800 visualizações.

Após um vídeo que introduziu os presentes ao tema, a secretária de Assistência Social, Silvia Issa, parabenizou a organização da Semana do Bebê. “A Semana do Bebê tem como objetivo promover a primeira infância e a união das Secretarias de Assistência Social, Saúde e Educação é muito importante para que isso aconteça”, disse.

O secretário de Educação, José Carlos Firme, destacou que as secretarias precisam dar apoio para que as políticas públicas ajudem as crianças, que precisam de carinho, atenção e brincadeiras, para que elas possam se desenvolver bem.

“Isso deve ser um compromisso para que possamos trabalhar na estruturação e qualificação das pequenas vidas”, afirmou.

Roda de conversa

O Comitê da Primeira Infância reuniu profissionais com experiência no tema central do evento, que é a importância das memórias afetivas, para uma roda de conversa. O psicólogo Leonardo Pacheco iniciou promovendo uma reflexão nos presentes.

“Todos nós sabemos o que significa memória, o que significa infância e o que significa afeto, mas uma vez que a gente precisa parar e se perguntar o que, de fato, todas essas coisas significam, elas se tornam desafiadoras”, pontuou.

Complementando a fala de Pacheco, a Terapeuta Ocupacional Estela Marcondes trouxe a percepção dos sentidos. “A época da vida sobre qual a gente menos lembra é a que mais determina como a gente vai viver as experiências futuras. O desenvolvimento da percepção dos nossos sentidos, o que chamamos de processamento sensorial, acontece, principalmente, nessa fase. A nossa resiliência, nossa forma de lidar com momentos difíceis, também tem muito do que vivemos na fase da qual não lembramos.”

Já a Fonoaudióloga Graziela Alves trouxe a importância da fala para esse relacionamento entre mãe e bebê. “A linguagem vai sendo desenvolvida o tempo inteiro. Se eu tenho alguém que me toca, alguém que olha para mim … É a gente que dá esse estímulo para que a fala venha ser funcional e efetiva”, salientou.

Inserindo o tema no ambiente escolar, a coordenadora de Arte da Rede Municipal de Ensino, Adriana Dias, abordou a construção de memória afetiva na prática pedagógica. “As nossas propostas têm que levar para a criança o encantamento. O encantamento é o que gera a memória afetiva.”

Apresentações

O evento foi abrilhantado por apresentações musicais e de dança, com a Escola de Música Rayana Crepaldi e com a bailarina Isadora Diniz, representando o Soul Studio de Dança.

A Semana do bebê acontece até sexta-feira (17), com programação nas unidades de saúde e nas escolas da Rede Municipal de Ensino e em todo o município.