São Luís sedia evento para debater instalação do Museu do Azulejo

Evento é uma parceria do Instituto Pedra e Fumph

Será realizada em São Luís, na próxima quarta-feira (21), a mesa-redonda “O Lugar do Azulejo é no Museu? – As pesquisas sobre o patrimônio azulejar e o Museu do Azulejo de São Luís”, evento fruto de uma parceria entre Instituto Pedra e Fundação Municipal de Patrimônio Histórico (Fumph). Das discussões deve surgir o projeto de implantação do Museu do Azulejo, equipamento cultural dedicado a abordar a história do patrimônio azulejar no país, que será instalado na capital maranhense. 

Entre os assuntos a serem discutidos durante o evento estão os seguintes tópicos:

    • Qual é o desafio de um Museu do Azulejo frente aos outros tipos de museus?”,
    • “Como abordar dentro do museu a história das oficinas, dos processos e dos agentes sociais relacionados à produção dos azulejos?”,
    • “Qual pode ser o espaço da produção contemporânea de azulejos dentro do museu?”
    • “Como o museu pode ajudar a reinserir o azulejo na sociedade?”.

Museu do Azulejo – O Museu do Azulejo será um equipamento cultural dedicado a abordar a história do azulejo, resgatando desde as suas origens até sua propagação em território brasileiro. A capital maranhense é conhecida pela tradição do uso de azulejos em seus casarões, igrejas e interiores de casas, que compõem o patrimônio arquitetônico e cultural da cidade.

O novo equipamento cultural abrigará acervo diverso, composto por peças de diferentes origens e períodos, além de artefatos, imagens e vídeos relacionados à sua produção e uso.

O espaço contará ainda com um programa de educação patrimonial com visitas guiadas, seminários e curso sobre a história do azulejo e aspectos técnicos relacionados à sua confecção, incluindo a origem de estilos e técnicas na azulejaria ao redor do mundo; o desenvolvimento da azulejaria em Portugal e sua introdução no Brasil; o desenvolvimento da azulejaria em São Luís e sua possível influência no uso de azulejos em fachadas em Portugal; e a produção da azulejaria moderna e contemporânea no Brasil.

Serviço

    • Evento: Mesa-redonda “O Lugar do Azulejo é no Museu? – As pesquisas sobre o patrimônio azulejar no Brasil e o Museu do Azulejo de São Luís”
    • Quando: Dia 21 de fevereiro, às 14h
    • Onde: Auditório do Centro Administrativo do Tribunal de Justiça do Estado do Maranhão | Rua do Egito, s/nº, Centro Histórico de São Luís – em frente à Igreja Nossa Senhora do Rosário dos Pretos.
    • Link para inscrições (até 20/02): https://forms.gle/TonxUF6ngEUQJP7d8

Quem participa da mesa-redonda

    • Alexandre Mancini – Artista autodidata que fez da azulejaria brasileira parte integrante de sua vida ao iniciar sua carreira em 2006, após anos de amplos estudos. Hoje reconhecido como importante nome da azulejaria nacional, sua produção engloba painéis com azulejos de padrões e composições abstratas, expressando grande conhecimento técnico e criatividade. É o criador e curador da página “Azulejaria Brasileira”, que se tornou um importante repositório da azulejaria nacional.
    • Alexandre Manuel Nobre da Silva Pais – Historiador com PhD em Teoria e História da Arte (2012) pela Universidade Católica de Portugal (UCP) e mestrado em História da Arte. É autor e coautor de estudos, livros e artigos sobre patrimônio cultural e azulejaria portuguesa, história da arte, história técnica da arte, iconologia, entre outros assuntos. É o diretor do Museu Nacional do Azulejo de Portugal.Eliana Ursine da Cunha Mello – Doutoranda no Programa de Pós-graduação em Arquitetura e Urbaenismo da UFBA, tendo como tema de pesquisa os azulejos de autor produzidos no Brasil entre 1940-1980. É Bacharel em conservação-restauração de bens culturais móveis e Mestra em Artes pela Escola de Belas Artes pela UFMG. Em seu mestrado desenvolveu a dissertação “O panorama do patrimônio azulejar contemporâneo brasileiro visto através do seu inventário: do século XX ao século XXI”. É coordenadora executiva do “Projeto SOS Azulejo Brasil”.
    • Evandro Von Sydow Domingues – Professor e poeta, mantém o blog “A vida numa Goa”. Von Sydow cataloga azulejos raros e painéis que encontra em diversas edificações espalhadas pelo Rio de Janeiro. Seu interesse é na azulejaria popular, registrando em suas peregrinações usos, aplicações e apagamentos desse patrimônio que foi tão presente no cotidiano do subúrbio carioca. Colabora também em revistas literárias e outras publicações.

Admin